César é “cria” da Mangueira

César é “cria” da Mangueira

O futebol brasileiro viveu grandes emoções este final de ano e um dos assuntos mais badalados na internet esta semana foi o problema que a equipe do Flamengo teria no gol para uma partida decisiva nas semifinais da Copa Sul-Americana. A opção seria confiar no jovem goleiro César, que teve poucas oportunidades como titular no time principal.

A desconfiança da torcida não teve eco na Vila Olímpica da Mangueira. César é “cria” do programa esportivo da Verde e Rosa e todos conhecem seu talento e dedicação. Segundo o treinador Marinho, um dos profissionais da Vila Olímpica da Mangueira, o garoto sempre foi muito dedicado e nunca reclamou do trabalho pesado que o treinador Parreira, falecido ano passado, aplicava no garoto. “Ele chegou na Mangueira na escolinha da categoria mirim falando que gostaria de ser goleiro e desde cedo era o primeiro a chegar e o último a sair, sem reclamar”, disse Marinho.

Destaque na Mangueira, o goleiro recebeu a proposta de treinar no Sendas, hoje Audax, mas continuou treinando na Vila Olímpica. Depois foi para o Fluminense e em seguida para o Flamengo. Foi emprestado para a Ponte Preta em 2015 e depois para a Ferroviária. De volta ao Flamengo, foi destaque na classificação do clube para a final da Sul-Americana.

Cesar tem muita carreira ainda pela frente e vários desafios, mas retrata fielmente e tipifica a importância de mais programas sociais como o da Mangueira, que oferece oportunidade a milhares de jovens ao longo dos seus trinta anos de existência, seja através do esporte, da educação e da cultura. Parabéns ao César, seus treinadores Cinthia dos Santos, Jarley e Carlos Dória, e a todos ex-atletas do Programa Social da Mangueira que souberam agarrar sua chance.