Mangueira nas Olimpíadas

Mangueira nas Olimpíadas

Berço do samba de grandes poetas e conquistas, a Estação Primeira de Mangueira tem motivos de sobra para comemorar o ano de 2016. Campeã do carnaval após treze anos da última conquista, exatamente no centenário do samba, a Verde e Rosa vê seu trabalho social, reconhecido internacionalmente, ser coroado como formador de atletas que irão disputar os Jogos Olímpicos no Rio. Seis atletas iniciados pela Mangueira conquistaram seu espaço nas Olimpíadas e levarão em seu coração as cores verde e rosa.
No basquete, as pivôs Érika de Souza e Clarissa Santos, que atualmente defendem o Chicago Sky, na WNBA, são presenças confirmadas nos Jogos. A ala da seleção brasileira Isabela Ramona, jovem promessa, de 22 anos, lançada pela Mangueira no campeonato nacional adulto em 2010 também garantiu sua vaga.
No handebol do Brasil está confirmada a presença da pivô Tamires Morena, que iniciou sua caminhada esportiva pela Verde e Rosa no atletismo. Atividade que levará dois atletas formados pela Vila Olímpica da Mangueira: Thiago do Rosário, nos 1.500 m e Fabiana dos Santos Moraes, nos 100 m com barreira.
O atleta da luta olímpica Davi Albino, é um dos condutores da tocha olímpica no Rio.
Segundo Chiquinho da Mangueira, presidente da Verde e Rosa e um dos fundadores do programa social, que está completando 30 anos, esta conquista é o resultado de uma vida inteira dedicada com seriedade ao esporte e a cidadania. “Ver esses atletas representando o Brasil na Olimpíada nos dá a certeza de que tudo que fizemos valeu a pena”, finalizou.