Olimpíada em Verde e Rosa

Olimpíada em Verde e Rosa

Enfim demos adeus aos Jogos Olímpicos do Rio. Foram 16 dias de magia que tornaram o Rio de Janeiro a capital do mundo, numa grande união de povos e línguas. Valeu muito viver cada segundo do maior evento do planeta bem aqui no nosso quintal.
O Rio de Janeiro merecia uma festa impecável. Desde 2009 a cidade se preparou para este momento. Mostrar ao mundo que somos um povo competente, receptivo e muito festivo.
A Estação Primeira de Mangueira foi coroada ao ser a campeã do carnaval carioca no ano das Olimpíadas e participou diretamente da festa com todo o destaque. Celebrou brilhantemente a abertura dos Jogos com seu casal de mestre-sala e porta-bandeira, Squel e Matheus, com sua bateria “tem que respeitar meu tamborim”, passistas e suas cores inconfundíveis, o verde e o rosa escolhidos pelo mestre Cartola.
O pequeno mangueirense Thawan Lucas, de apenas oito anos encantou ao dançar com Wilson das Neves e o nosso atleta Jorge Alberto, foi o escolhido para acender a Pira Olímpica do Povo, que ficou acesa durante os Jogos.
A festa seguiu e também deixamos a nossa marca no esporte. O Projeto Olímpico da Mangueira, caprichosamente está completando 30 anos de vitórias justamente em 2016. Nosso legado foi mostrar para todos que é possível formar campeões em meio às adversidades. Seis atletas criados em nossa base disputaram os Jogos. No basquete feminino Érika de Souza, Clarissa Santos e Isabela Ramona. No handebol, Tamires Morena. E no atletismo, Fabina Moraes e Thiago do Rosário. Conquistas que nos fazem acreditar que tudo o que foi realizado partindo de um sonho valeu a pena.
Os Jogos terminaram. Hora de sentir saudades. O mundo conheceu a nossa força, o talento e tradição das cores verde e rosa. Sucesso total ao ouvir nosso hino campeão no encerramento das Olimpíadas, nossa gente cantando e nossa bandeira tremulando e invadindo harmoniosamente as TVs de cada canto deste planeta. Como sempre profetizou o saudoso Luizito: “Chegou a garra, chegou a emoção, chegou a escola mais querida do planeta. Chegou a Estação Primeira de Mangueira”.

Texto: Rubem Machado | Foto: Marcos Brindicci_Reuters